PROGRAMA 22-05-2012

Projeção Sonora de obras eletroacústicas

 Encontro Nacional de Licenciatura em Música EAD da UFRGS

DIREÇÃO ARTÍSTICA: PROF. DR. E.F.FRITSCH

BOLSISTA: RICARDO GABRIEL HERDT

ONDE: Sala dos Sons – Av. Paulo Gama, 110 – 2 andar da Reitoria da UFRGS
QUANDO: 22 de maio – horário: início das sessões 14h

ENTRADA FRANCA

PROGRAMA

Treliça – sintetizador e sampler (2011) – Luciano Zanatta

Composição que explora as relações intervalares, tanto melódicas quanto harmônicas, de um conjunto de alturas extraído da série harmônica. Este conjunto de alturas é utilizado de duas maneiras: como escala, na parte do sampler, de onde é obtido material melódico e harmônico e como parciais para gerar uma forma de onda, na parte do sintetizador, gerando material timbrístico.

Realidade: canelada! – sons gravados e processamento (2011) – Luciano Zanatta

Nesta música é utilizado como material fonte principal o som de instrumentos musicais construídos pelo artista plástico Chico Machado. Os sons foram obtidos a partir de improvisações gravadas – as quais foram posteriormente editadas, processadas e recombinadas. O processo gera relações entre os gestos e os materiais. Estas relações são, então, explicitadas ou contrapostas por outros sons que são gerados pelo processamento ou obtidos de outras fontes.

Mystery – sons eletrônicos, percussão e vozes processadas (2004) – Eloy F. Fritsch

Composta em 2004 no Centro de Música Eletrônica da UFRGS, Mystery foi motivada pelos grandes enigmas da humanidade: Estamos sós no universo? De onde viemos? O que havia antes do Universo? Utilizando sons sintetizados e amostras digitais de vozes, a composição foi realizada através de cortes e colagens de materiais processados por computador. Esta composição integra o DVD Música Computacional e Eletrônica lançado pela Editora da UFRGS

Synthetic Horizon – música acusmática (2005) – Eloy F. Fritsch

Composta em 2005 com o intuito de exteriorizar, sob a forma de música acusmática, a inquietação decorrente da reflexão sobre o mundo cibernético sintético que vem sendo criado pela humanidade. A intenção do compositor é conduzir o ouvinte a uma viagem por ambientes sonoros artificiais, projetados por texturas eletrônicas. A composição Synthetic Horizon integra a Coletânea de Música Eletroacústica Brasileira lançada pela Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica em 2009.

 Arquivo Sonoro e Sonograma da obra Synthetic Horizon

Sobre os compositores:

Luciano Zanatta (1973 – ) Estudou Composição na Ufrgs com Celso Loureiro Chaves e Antônio Borges Cunha, obtendo os títulos de Bacharel, Mestre e Doutor em Composição. Participou do grupo o Os Relógios de Frederico, lançando três discos. Gravou também um disco solo chamado Volume 2. Atualmente é professor adjunto do Departamento de Música da UFRGS.

Eloy F. Fritsch (1968 – ) é compositor, tecladista e professor. Criou o grupo Apocalypse em 1983 tendo gravado 12 álbuns e se apresentado no Brasil e exterior. Como músico eletrônico lançou 9 álbuns de música autoral para sintetizadores, um livro e um DVD de música eletroacústica. É professor do Programa de Pós-graduação em Música, pesquisador CNPq e coordenador do Grupo de Pesquisa em Computação Musical da UFRGS.

PROGRAMA – 08-05-12 (18hrs)

SALA DOS SONS convida:

Concerto de música eletroacústica, com música de Josemir Valverde e duas estréias, dos compositores Sérgio Lemos e André Pilla.

ONDE: Sala dos Sons – Av. Paulo Gama, 110 – 2 andar da Reitoria da UFRGS

QUANDO: 08 de maio – horário: 18h

ENTRADA FRANCA

Programa:

PASSEIO NA FLORESTA DOS MAFAGAFOS (2012) ESTRÉIA – SERGIO LEMOS

A primeira versão dessa composição foi realizada na disciplina de Musica Eletroacústica I. Em 2012 a peça foi refeita e espacializada para ser apresentada pela  Orquestra de Alto-Falantes da UFRGS durante a disciplina de Música Eletroacústica II sob orientação do Prof. Dr. E.F. Fritsch.  A sonoridade remete fortemente às primeiras composições  eletrônicas dos anos 1950. O compositor procura provocar no ouvinte a sensação atmosférica experimentada por uma pessoa ao caminhar no crepúsculo por alguns minutos, numa floresta repleta de mafagafos de diferentes espécies.

Sergio Lemos, natural de Salvador, iniciou seus estudos musicais com o piano ainda na infância. Estudou violão clássico com diversos professores  de Porto Alegre, e atualmente é aluno do curso de Bacharelado em Composição Musical da UFRGS, sob orientação do Prof Antônio Carlos Borges Cunha. Sergio é do signo de áries, possui o ascendente em peixes e a lua em aquário.

DOIS ESTUDOS ELETROACÚSTICOS (2009) – ESTRÉIA – ANDRÉ PILLA

O Primeiro Estudo Eletrônico foi criado a partir de cortes e colagens de materiais musicais  provenientes de um amplo catálogo de sons sintetizados através do software Nord Modular. Os sons foram processados e a afinação  modificada para produzir sensação de direcionalidade.  O Segundo estudo é constituído por sons concretos e eletrônicos transformados. Esta peça é caracterizada pela presença de  texturas  obtidas através de procedimentos para a criação de metaformose sonora gradual. Ambos os estudos de música acusmática foram realizados no Centro de Música Eletrônica e orientados pelo Prof. Dr. E.F.Fritsch.


André Dillenburg Pilla nasceu  em 1 de novembro de 1983. Iniciou seus estudos musicais com o  violão aos 12 anos. Em 2005 estudou e aprofundou seus conhecimentos em gravação e reprodução sonora. Em 2007 ingressou no curso de graduação em composição, entrou em contato com a música contemporânea instrumental e eletroacústica, realizando composições em ambas as áreas ao longo do curso.


HI LIGHT (2010) –  Josemir Valverde

A composição acusmática “Hi light” foi desenvolvida durante a disciplina Música e Tecnlogia, sob a orientação do professor Dr. E. F. Fritsch, do curso de mestrado em música da UFRGS. Foi utilizado o software Nord Modular G2 para criação de instrumentos virtuais. A partir desses instrumentos foi elaborado um catálogo de sons que, posteriormente,  foram organizados, processados e espacializados no sistema 7.1 através do programa Steinberg Nuendo.

Josemir Valverde nasceu em 1977 na cidade de Salvador, no estado da Bahia. Graduou-se em 2003 em Composição e Regência pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Obteve o título de mestre em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e atualmente cursa o doutorado em música nesta Universidade sob a orientação do professor doutor Antônio Carlos Cunha. Josemir recebeu a Menção Honrosa na “XXIII Apresentação de compositores da Bahia” (2000), 1° lugar no concurso de composição “Oito Violoncelos em Concerto” (2000), 2° Lugar e Premio de Público no “Concurso Nacional de Composição Lindemberg Cardoso” (2002) e 2° Lugar no “Concurso Nacional de Composição Cláudio Santoro” da Academia Brasileira de Música (2005). Suas composições orquestrais foram apresentadas no Rio de Janeiro (Orquestra Petrobrás Pró Música, regência – Roberto Duarte), São Paulo (Antunes Câmera), Salvador (Orquestra Sinfônica da UFBA, regência – Piero Bastianelli), Curitiba (Camerata Antíqua, direção e solo – Raiff Dantas), Porto Alegre (Orquestra de Câmera FUNDARTE, regência – Jocelei Bohrer.

Direção Artística Prof. Dr. E.F.Fritsch
Difusão Sonora: Alberto Tusi